Desassociação e ostracismo, o que são?

Postado por: Mentalista
Data: 2016-04-24 01:10:05 (Atualizado em: 2017-01-13 00:59:43)

Tags: blog, artigos, análises, testemunhas de Jeová, desassociação, ostracismo, dissociação, excomunhão, evitar ex-membros

O que significam algumas expressões?

Desassociação: Entre as Testemunhas de Jeová, aqueles que cometem pecados, tais como fornicação (que inclui sexo antes do casamento, relações homossexuais), adultério (traição "consumada"), roubo, mentira, "apostasia" (promover ideias diferentes daquelas ensinadas pela organização das Testemunhas de Jeová) e dezenas de outros (Para saber mais, confira o "Correspondence Guidelines" criado pelas testemunhas de Jeová.), precisam passar por uma "comissão judicativa", composta por alguns "anciãos", onde, dependendo de alguns fatores avaliados (grau de arrependimento, quantas pessoas ficaram sabendo, quantas vezes o pecado foi realizado, premeditação etc), serão julgadas quanto a se devem ser "desassociadas". Se a decisão for pela desassociação, então é feito um anúncio durante uma de suas reuniões informando que tal pessoa "não é mais testemunha de Jeová".

Dissociação: Algumas práticas são consideradas como dissociação. Por exemplo, receber por livre vontade uma transfusão de sangue (para uma explicação sobre porque este não é um caso de desassociação, veja o caso Bulgária), frequentar um templo de outra denominação, aceitar um cargo político etc. O caso mais comum é quando a pessoa pede desligamento das Testemunhas de Jeová por meio de uma carta, uma vez que já não concorda com suas doutrinas. Quando alguém se dissocia, também é feito um anúncio informando que essa pessoa "não é mais testemunha de Jeová".

Ostracismo: Em ambos os casos acima, contando a partir do anúncio, os demais membros não podem mais se dirigir a essa pessoa, até mesmo membros da família que não moram na mesma casa que o desassociado. O tratamento deve ser seguido à risca, já que os que se comunicarem com um desassociado também podem ser desassociados e caírem na mesma condição. Geralmente, a atitude para com os que se dissociam é ainda mais intensa, já que são considerados como traidores de sua fé e de sua família.

Introdução

Para cada 100 testemunhas de Jeová, uma é desassociada todo ano. Mais de 80.000. Duas a cada três nunca reingressam. Ser desassociado pode resultar em vários efeitos colaterais emocionais, já que: (A) Aqueles que mantém suas crenças pensam que estão condenados à destruição eterna enquanto não reingressarem. (B) Aqueles que não mais concordam com as crenças das Testemunhas de Jeová logo percebem que nunca mais terão contato com seus familiares e amigos, a menos que finjam que ainda acreditam.

Qual é o problema?

Foi só em 1952 que a desassociação passou a existir da forma como ela é hoje entre as Testemunhas de Jeová. Embora a Bíblia diga que a associação com os que violam o código moral dela deve ser -limitada-, vemos que a Torre de Vigia vai além disso. Em textos tais como 1 Coríntios 5, a Bíblia fala sobre não ter -convivência- (por exemplo, ter refeições com essa pessoa) com quem estiver praticando "imoralidade sexual, ganância, idolatria, injúria, embriaguez, extorsão." 2 João adiciona o caso de alguém que não permanece no ensino de Cristo (que seria amar a Deus e ao próximo). No entanto, a Torre de Vigia ensina que essas pessoas não devem nem mesmo ser cumprimentadas, ou seja, devem ser totalmente evitadas, até mesmo dentro dos salões do reino (onde as Testemunhas de Jeová realizam suas reuniões).

A Sentinela, 15 de Janeiro de 2013, pág. 16, proíbe o contato com um desassociado até mesmo por e-mail, telefone e mensagens de texto.

A Sentinela, 15 de Fevereiro de 2011, diz que cortar contato com o desassociado/dissociado mostra ódio por suas atitudes e amor pelo pecador ao ponto de fazer o que é melhor para ele. E que a "lealdade a Jeová" aumenta a probabilidade dessa pessoa de se arrepender e "retornar para Jeová."

A Sentinela (edição em inglês), 15 de Setembro de 1981, pág. 27, diz que foi o desassociado quem criou problemas para si e para sua família.

A Sentinela (edição em inglês), 15 de Julho de 1961, pág. 420, diz que Jesus encorajou seus seguidores a amar seus inimigos, mas que a palavra de Deus também diz para se odiar o que é mau, de forma que, quando uma pessoa persiste no proceder errado depois de saber o que é certo, para odiar o que é mau um cristão deve odiar a pessoa que está inseparavelmente vinculado ao proceder errado.

O fundamentalismo é evidenciado na A Sentinela (edição em inglês), 15 de Setembro de 1952, pág. 703, que diz: "a lei de homem e a lei de Deus por meio de Cristo nos proíbe de matar os apóstatas, apesar de serem membros da nossa própria relação familiar de carne e osso". E na A Sentinela (edição em inglês), 1 de Junho de 1977, pág. 347, as congregações são instruídas a não atender nem mesmo ao funeral de alguém desassociado.

É interessante que a Bíblia não estabelece que devam ser feitos anúncios sobre alguém ter sido desassociado ou readmitido. As pessoas deviam evitar convivência com quem estivesse praticando essas coisas, mas as Testemunhas de Jeová evitam essa pessoa até que ela passe por todo um processo de readmissão, mesmo que já tenha se arrependido e parado de praticar aquele ato. Ou seja, na prática o ostracismo só acaba se houver readmissão. Por exemplo, há casos em que testemunhas de Jeová casadas foram desassociadas por confessar terem tido relações sexuais antes de seu casamento. Embora elas tenham mostrado premeditação em seu pecado, a Bíblia diz que deviam ser evitados de convivência aqueles que estivessem praticando aqueles pecados.

Além disso, pessoas são ostracizadas até por práticas não mencionadas em 1 Coríntios (de onde partiria o princípio do ostracismo). Na verdade, algumas não estão nem mesmo na Bíblia. Exemplos: jogatina, transfusão de sangue e fumo. Uma pessoa não ser cumprimentada simplesmente porque fuma não tem nada a ver com a Bíblia.

O que a Bíblia diz:

Lucas 6:36, 37: "Sejam sempre misericordiosos, assim como o seu Pai é misericordioso. Além disso, parem de julgar, e de modo algum serão julgados; e parem de condenar, e de modo algum serão condenados. Continuem a perdoar, e serão perdoados."

Mateus 18:15-17: "Além disso, se o seu irmão cometer um pecado, vá mostrar-lhe o seu erro, somente você e ele. Se ele o escutar, você ganhou o seu irmão. Mas, se não o escutar, leve com você mais um ou dois, para que, com base no depoimento de duas ou três testemunhas, toda questão seja estabelecida. Se ele não os escutar, fale à congregação. Se não escutar nem mesmo a congregação, seja ele para você apenas como homem das nações e como cobrador de impostos."

Mateus 9:11-13: "Mas, ao verem isso, os fariseus perguntaram aos discípulos dele: 'Por que o seu instrutor come com cobradores de impostos e pecadores?' Ele os ouviu e disse: 'As pessoas saudáveis não precisam de médico, mas sim os doentes. Portanto, vão e aprendam o que significa: "Quero misericórdia, e não sacrifício." Pois eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.'"

Jesus não evitava os pecadores, nem tampouco os considerados apóstatas. Ele costumava falar com os fariseus e com os escribas (a quem condenou em Mateus 23), que tinham visões diferentes das dele. Em João 3:1-21, vemos que ele aceitou a visita de um fariseu para conversar sobre a Bíblia. E até mesmo falou diretamente com o "apóstata original", Satanás.

2 Tessalonicenses 3:14, 15: "Mas, se alguém não for obediente ao que dizemos nesta carta, tomem nota dele e parem de se associar com ele, para que fique envergonhado. Contudo, não o considerem como inimigo, mas continuem a aconselhá-lo como irmão."

2 Coríntios 2:5, 6: "Ora, se alguém causou tristeza, ele entristeceu não a mim, mas a todos vocês, até certo ponto — para não ser severo demais no que digo. Essa censura da parte da maioria é suficiente para esse homem;" (A nota marginal deste texto faz referência ao caso relatado em 1 Coríntios 5.)

No texto acima, "censura" não indica ostracismo, "maioria" indica que alguns nem precisavam participar dessa censura.

2 João 1:9, 10: "Todo aquele que vai além dos ensinamentos do Cristo e não permanece neles não tem Deus. Quem permanece nesses ensinamentos é quem tem tanto o Pai como o Filho. Se alguém vier a vocês e não trouxer esses ensinamentos, não o recebam na sua casa, nem o cumprimentem." (Não cumprimentar os que não trouxerem os ensinamentos de CRISTO.)

Romanos 14:5: "Uma pessoa considera um dia mais importante que outro, ao passo que outra pessoa considera todos os dias iguais; que cada um esteja plenamente convencido na sua própria mente." (Se alguém comemora seu aniversário ou algum outro dia especial, é marcada como má associação. A insistência pode resultar até em desassociação.)

Gálatas 6:1: "Irmãos, mesmo que um homem, sem perceber, dê um passo em falso, vocês que têm qualificações espirituais tentem reajustar esse homem num espírito de brandura. Mas olhe cada um para si mesmo, para que não seja tentado também." (Reajustar alguém pode levar tempo. No entanto, as desassociações muitas vezes ocorrem em no máximo algumas semanas depois de alguém confessar seu pecado.)

Quanto à pressão num pensar único:

Watchtower, Abril de 1887, pág. 923: "Em vez disso, como a igreja de Roma, sua influência é exercida para coibir a investigação dentro dos limites sectários. Com a ameaça implícita de desassociação, eles estimulam seus ministros e estudantes a não procurar continuamente pela verdade, mas aceitar a voz de sua seita como infalível."

Watchtower, 1 de Fevereiro de 1919, pág. 6385: "a attitude dele [Diabo] os leva a violar o princípio de várias maneiras: (1) Por julgar e condenar outros que não vêem as coisas da mesma forma que eles; (2) Por se recusar a associar com aqueles que ainda acreditam no resgate, na restituição, na alta vocação."

Watchtower, 1 de Outubro de 1930, pág. 301: "A organização de Satanás navega sob o nome pomposo de "Cristandade". Ela se gaba de uma adesão de mais de 500 milhões de pessoas. Seus membros estão presos a credos, costumes, ritos e cerimônias; eles não se atrevem a renegá-los ou criticá-los ou expô-los. Fazer isso lhes traria desprezo, reprovação, desassociação e perseguição. Muitos milhares do povo de Deus são mantidos nessas denominações como prisioneiros, com medo de expressar sua desaprovação pelos credos, métodos e costumes da organização."

Em 1947, a Despertai!, 8 de Janeiro, pág. 27, descreveu a prática da desassociação como não tendo base bíblica, uma doutrina pagã, usando Hebreus 10:26-31 para mostrar que o julgamento deve ser deixado para Deus.

Na Watchtower, 15 de Maio de 1944, págs. 151-152, a responsabilidade de julgar alguém foi passada da congregação para um grupo representativo desta.

Já que na Bíblia não há a palavra "desassociado", a Torre de Vigia direciona o leitor, em seu apêndice, para a palavra "expulso". Esta por sua vez se encontra em dois textos que se referem a pessoas serem expulsas da sinagoga. Esse é o melhor termo que conseguiram encontrar?

A Bíblia não menciona nenhum batismo de uma criança. Mesmo Jesus se batizou com quase 30 anos. No entanto, testemunhas de Jeová podem batizar antes mesmo da adolescência. Como podem tais crianças já saberem tudo o que está envolvido ao se batizar? Sabem elas que podem ser ostracizadas caso mudem de opinião sobre as testemunhas de Jeová?

A Comissão Judicativa

Ao determinar se uma pessoa deve ser desassociada, os anciãos formam uma "comissão judicativa" (expressão que não aparece na Bíblia) para se reunir com o pecador. Isso é feito em privado, e o pecador não pode levar um acompanhante, um advogado ou um dispositivo de gravação. Tanto os Israelitas como as primeiras congregações cristãs mantinham os assuntos abertos a pessoas comuns, nos portões das cidades (Israelitas) ou na frente da congregação, para que a discussão fosse justa e na presença de observadores. Assim o risco de injustiças era menor.

Mulheres são submetidas do mesmo modo a uma comissão de três homens, tendo que descrever as coisas que fizeram, em vários casos quais práticas sexuais efetuaram e até que ponto.

Referências

Os textos citados foram retirados da "Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada", publicada pelas Testemunhas de Jeová.

JWFACTS

Comentários


@2016-2017 OBSERVATÓRIO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ