Alumínio - maldição da humanidade

Postado por: Mentalista
Data: 2016-01-02 01:03:32 (Atualizado em: 2017-01-13 01:05:36)

Tags: blog, análises, citações, the golden age, despertai, alumínio

A descrença da Sociedade Torre de Vigia na correlação entre bactérias e vírus e as enfermidades humanas levou-a a especular sobre suas 'reais' causas. A culpa acabou por ser atribuída aos utensílios de cozinha, fabricados em alumínio. Dizia-se que este material - não as bactérias - contaminava os alimentos e causava toda sorte de doenças. Pouco a pouco esta tese adquiriu caráter fundamentalista, retratando-se o alumínio como metal 'satânico' e assassino de milhões.

Tudo começou em 1926, quando o dentista prático e membro da igreja presbiteriana, Charles Betts (nascido em Ohio - EUA) publicou uma matéria condenando o alumínio. Tempos depois, ele foi desmascarado como charlatão. Desta época até o final dos anos 60, a Sociedade Torre de Vigia endossaria plenamente a tese de Betts, devotando nada menos que 130 artigos à campanha de combate ao alumínio. A edição de 12 de Setembro de 1934 de A Idade de Ouro,pág. 771 (em inglês), dizia ser ela a primeira revista a dar "ampla publicidade a esta matéria" - a maravilhosa descoberta do Dr. Betts, a quem equivocadamente a revista conferia o título de médico, pois não há qualquer registro dele em uma universidade. Examinemos agora alguns artigos típicos desta época:

Artigo de A Idade de Ouro de 1929 (em inglês, de autoria de C. Woodworth) Quantos pais e mães cairão doentes; quantos bebês assassinados até que as autoridades tomem uma providência quanto a isso e evitem este massacre desnecessário? A Idade de Ouro de 12/11/1929, pág. 107 (em inglês) Evite o uso de utensílios de alumínio.... pois eles são perigosos à sua saúde, envenenando sua corrente sanguínea... Artigo de A Idade de Ouro de 1928 (em inglês, de autoria de C. Woodworth) Se você quer morrer, continue ingerindo alimentos cozidos com alumínio. A Idade de Ouro de 28/5/1930, pág. 651 (em inglês) Como resultado da publicação de uma verdade salutar sobre o assunto, há cada vez menos pessoas adquirindo utensílios de cozinha de alumínio. Também há uma acentuada queda no índice de mortes por câncer. Muito alumínio usado: muitos casos de câncer. Menos alumínio usado: menos casos de câncer.

A declaração abaixo revela ignorância técnica do assunto, já que a substância em questão - fosfato de alumínio - não é composto orgânico. A revista apenas copiou o erro de Charles Betts.

Artigo de A Idade de Ouro de 7/8/1929 (em inglês) Alumínio orgânico também é um veneno

Assim, A Idade de Ouro prosseguiu em sua cruzada contra o alumínio, atribuindo-lhe toda sorte de moléstia e intoxicação, apesar da completa ausência de base científica para isso. No final da década de 20, o Dr. Morris Fishbien - presidente da American Medical Association [Associação Americana de Medicina] e editor das duas publicações periódicas dessa associação, o Journal of the American Medical Association (JAMA) e Hygeia - publicou um artigo, no qual mencionava o resultado de todos os testes sobre o alumínio, realizados por conceituados institutos norte-americanos e ingleses. Em nenhum dos experimentos pôde-se demonstrar qualquer associação entre o uso de utensílios de cozinha em alumínio e qualquer enfermidade, muito menos o câncer. Outros cientistas também publicaram matérias expondo a futilidade de insistir com esta campanha.

A resposta dos editores de A Idade de Ouro não tardaria a vir, e da pior maneira - a edição de 26 de Setembro de 1934, pág. 807 (em inglês) endossou o seguinte comentário:

O Jornal da American Medical Association é a folha mais vil que passa pelo correio dos Estados Unidos.... Nada que seja novo e útil em terapêutica escapa à sua condenação cega. Os seus ataques são geralmente ad hominem. As suas colunas editoriais são devotadas em larga medida ao assassinato das pessoas.... O seu editor [Morris Fishbien] é o tipo de Judeu que crucificou Jesus Cristo.

Assim, edição após edição, ataques pessoais e a instituições médicas assumiram o lugar dos argumentos cientificamente embasados. A revista A Idade de Ouro e sua sucessora - Consolação - passaram insinuar que todos os profissionais médicos defensores do alumínio estavam comprometidos com os grandes comerciantes do ramo. Era, pois, inevitável que estas publicações passassem a não ser levadas a sério pelos cientistas e institutos médicos de prestígio. Como resultado, a Sociedade Torre de Vigia acabou por receber um lugar de destaque entre os maiores nomes do charlatanismo médico na história - listados no clássico texto de Warner (1930).

É certamente lamentável que os editores de A Idade de Ouro, no afã de manter sua doutrina, recorressem a insultos como os que vimos até agora. Todavia, ante a falta de evidência, a Sociedade Torre de Vigia gradualmente encerrou sua cruzada contra o alumínio e seus defensores, chegando até a chamá-lo, em uma edição de A Sentinela de 1969, de "um dos mais versáteis metais conhecidos do homem, pelo qual deveria ser grato ao Grande Criador, o qual encravou-o primeiro na crosta da terra". Estranhamente, nenhuma menção é feita do radicalismo com o qual, por décadas, a organização defendia uma postura totalmente oposta ao que agora afirmava.

Certamente ninguém veio a morrer por evitar utensílios de alumínio, atendendo aos apelos da Sociedade Torre de Vigia. Por outro lado, não se pode deixar de extrair deste caso uma demonstração do quanto a falta de modéstia e de cautela em emitir opiniões pode conduzir toda uma organização a um poço de inconsistências e falácias. A lição é clara: todos devemos ter prudência em questões fora de nossa área de conhecimento, especialmente em assuntos que envolvem a saúde humana. Os editores da revista A Idade de Ouro (atualmente Despertai!) não foram exceção. Caso tivessem tido a humildade necessária a todo leigo, episódios patéticos como este poderiam ter sido evitados.

Se você deseja pesquisar mais sobre o assunto nas publicações da Torre de Vigia, veja as seguintes publicações:

The Golden Age: (antecessora da revista Awake!)

  • 25 de Julho de 1928, pág. 695
  • 14 de Novembro de 1928, pág. 114-115
  • 1930, pág. 650
  • 28 de Outubro de 1931, pág. 54
  • 26 de Outubro de 1932, pág. 35
  • 12 de Novembro de 1929, pág. 107
  • 1929, pág. 436
  • 23 de Setembro de 1936, págs. 803-812

Awake! (edição em inglês da atual Despertai!):

  • 8 de Janeiro de 1947, pág. 23 (faz menção ao charlatão Dr. C.T. Betts)
  • 22 de Maio de 1948, pág. 11
  • 8 de Agosto de 1949, pág. 16 (novamente o charlatão é aclamado)
  • 1 de Fevereiro de 1952, págs. 95-96
  • 22 de Junho de 1962, págs. 8-10

Comentários feitos por: wesleywws

Comentários


@2016-2017 OBSERVATÓRIO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ