Observatório JW

Maiores polêmicas envolvendo as Testemunhas de Jeová

Postado por: Mentalista
Data: 2016-08-28 18:34:18 (Atualizado em: 2017-01-13 00:12:06)

Tags: blog, artigos, polêmicas, escândalos, notícias, pedofilia, transfusão de sangue, donativos

1. ABUSO SEXUAL DE CRIANÇAS

Comissão Real Australiana

No topo da lista, sendo um dos assuntos mais recentes, estão as investigações com respeito às políticas da organização Torre de Vigia em relação a como tratar os casos de abuso sexual envolvendo seus membros.

A Comissão Real Australiana, um órgão do governo australiano, marcou 2015 como um ano de pesadelo para aqueles que querem ocultar esse tipo de escândalo criminoso que ocorre entre testemunhas de Jeová. É óbvio que esse tipo de crime pode ocorrer em qualquer lugar, mas o ponto é que muitas testemunhas de Jeová imaginam que seus "irmãos" jamais fariam esse tipo de coisa. E é aí que mora o grande perigo, uma vez que isso não é verdade. As contas chegaram a quase 2.000 casos de abuso sexual infantil por parte de testemunhas de Jeová, apenas na Austrália, e considerando apenas as últimas seis décadas. O número de abusadores quase chegou a 1.000.

A investigação envolveu cerca de 11 membros dessa organização, sendo alguns do alto escalão, incluindo Geoffrey Jackson, um dos que estão na sua liderança, o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová. Convidado para um interrogatório, Geoffrey explicou que, embora o problema realmente exista, a organização não pode fazer muita coisa a respeito, e que as vítimas podem denunciar seus abusadores se assim desejarem.

Outros tópicos foram abordados, como, por exemplo, o fato de a vítima ser colocada frente a frente com seu abusador, numa espécia de tribunal interno que investiga se houve realmente o abuso. O problema é que a vítima deve apresentar uma segunda testemunha; caso contrário, o abusador não será declarado culpado. Não é de se esperar que um pedófilo abuse da vítima na presença de uma segunda testemunha, não é mesmo?

Outro aspecto abordado nessa comissão foi o ostracismo daqueles que decidem deixar a organização. Em resumo, não importa qual seja o motivo pelo qual faça isso, um membro batizado que abandona essa religião não poderá mais ser contatado, nem sequer cumprimentado. Um dos pontos analisados é como isso impacta na decisão das vítimas de abuso em deixar essa organização, visto que perderiam todas as relações com seus parentes e amigos.

Saiba mais.

Candace Conti

Outro caso que foi bem noticiado em tempos recentes é o de Candace Conti. Agora na faixa dos 30 anos, Candace conta que tinha apenas nove anos de idade quando foi abusada por um membro querido de sua pequena congregação em Fremont, Califórnia, chamado Jonathan Kendrick. Enquanto fazia a pregação de porta em porta, que segundo Conti ocorria frequentemente sem seus pais, Kendrick a levava para sua casa para molestá-la.

Quando Candace e seu advogado começaram a conduzir depoimentos com os anciãos da congregação local na Califórnia, eles descobriram algo que lhes deixou assombrados: mesmo antes de Conti sofrer o abuso, os anciãos já sabiam que Jonathan Kendrick, que na época ocupava um cargo de liderança na congregação, também tinha molestado sua enteada quando ela era uma adolescente. E ainda assim os anciãos não chamaram a polícia e não alertaram os outros membros da congregação. De fato, os anciãos disseram que naquele momento estavam seguindo as orientações rigorosas fornecidas pela sede das Testemunhas de Jeová, em Nova York, a Watchtower.

Veja aqui dois vídeos sobre esse caso:

Vídeo 1
Vídeo 2

Saiba mais.

Jose Lopez

Mais um caso recente de como as políticas das Testemunhas de Jeová falham em proteger seus membros de abusadores sexuais é o de Jose Lopez. A organização delas foi condenada a pagar mais de 13 milhões de dólares à vítima.

Veja a matéria no site da NBC San Diego.

Destruição de evidências

A BBC investigou alegações de que as Testemunhas de Jeová ordenaram a destruição de documentos que poderiam ser usados durante o "Independent Inquiry into Child Sexual Abuse", que investiga até que ponto e de que formas algumas instituições falharam em proteger crianças do abuso sexual por parte de seus membros. Uma carta foi enviada aos anciãos para que destruíssem notas sobre alguns casos, notas essas que poderiam ser úteis durante uma investigação sobre pedofilia no meio das Testemunhas de Jeová.

Saiba mais.

2. TRANSFUSÃO DE SANGUE

A polêmica gira em torno da questão que as Testemunhas de Jeová não aceitam fazer transfusões de sangue por interpretarem que a Bíblia condena a prática. Ainda que algumas talvez não concordem com essa interpretação, elas ficam sem escolha, uma vez que podem ser expulsas da congregação se aceitarem a transfusão de sangue. Isso resulta no seu isolamento dos demais membros, que não poderão mais se relacionar com essa pessoa, nem sequer cumprimentá-la. Muito menos poder de escolha têm os filhos de testemunhas de Jeová que obviamente optariam pelo tratamento que lhes salvaria a vida, mas muitas vezes não o recebem pela decisão de seus pais baseada nas regras impostas pela sua religião.

Cartão do sangue (em inglês)

Foto: Cartão usado pelas testemunhas de Jeová para alertar médicos sobre sua decisão em não aceitar transfusão de sangue. Na imagem, está em inglês.

Ser expulso da congregação é encarado como uma disciplina da parte de Deus. E receber uma transfusão é encarado como uma violação das leis dele. De modo que uma testemunha de Jeová bem doutrinada prefere a morte a realizar uma transfusão de sangue, uma vez que recebe a garantia de que, se morrer fiel, será ressuscitada. Mas, se morrer violando essa lei de Deus, corre o risco de nunca mais voltar à vida no paraíso prometido.

Um caso recente reacendeu a polêmica. Um jovem argentino de 18 anos morreu no Hospital Escola de Posadas. O diagnóstico foi de "choque hipovolêmico" e os médicos decidiram realizar uma transfusão de sangue, mas receberam a oposição dos pais e outros parentes que alegaram motivos religiosos por serem testemunhas de Jeová. O garoto superou uma intervenção cirúrgica. Mas faltava restituir o sangue já que, segundo o médico, "o corpo tinha perdido cerca de três litros". Mas o processo não pode ser concluído. Quase 12 horas depois do acidente em casa, o menino morreu. "Houve intervenção com todos os recursos disponíveis, mas era essencial a transfusão de sangue", comentou o profissional.

Um outro caso, em Gana, mostra que esses casos acontecem no mundo todo. Uma mulher de 41 anos, com graves hemorragias pós-parto, acabou por morrer devido à sua recusa em aceitar transfusões de sangue.

A mulher recusou até ao fim a terapia proposta pelos médicos que, com certo grau de certeza, poderia ter-lhe salvo a vida.

É interessante destacar que, alguns anos antes, a mesma mulher havia necessitado de uma transfusão de sangue ao dar à luz um de seus filhos, dessa vez com um final diferente, visto ter aceitado a transfusão.

No entanto, ela sofreu uma Comissão Judicial (tribunal eclesiástico), onde foi decidido que ela deveria ser desassociada por aceitar a transfusão. Essa desassociação foi traumática, pois levou ao corte de relações com parentes e amigos Testemunhas.

Saiba mais.

Um bebê morreu no setor de Neonatal do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) após a avó recusar, por ser Testemunha de Jeová, que fosse realizada uma transfusão de sangue que poderia salvar a criança. A mãe, por ser uma adolescente de 15 anos, não poderia responder pela criança e tentava há alguns dias convencer a avó da necessidade da transfusão de sangue.

Saiba mais.

3. QUESTÕES FINANCEIRAS

Conhecida por expor outras religiões, incluindo as cristãs, as Testemunhas de Jeová em geral se colocam acima de qualquer crítica. Embora já tenha condenado fortemente a coleta nas outras religiões, bem como o dízimo, a Torre de Vigia solicita donativos regularmente aos seus membros. Embora esses não sejam obrigatórios, o truque está mais uma vez em fazer seus membros pensar que estão doando para Deus.

Este vídeo, por exemplo, mostra a introdução nos congressos das maquininhas para recebimento de donativos, via cartão de crédito ou débito.

Regularmente, cartas são lidas nas congregações das Testemunhas de Jeová, falando sobre a necessidade de apoio via donativos. Por exemplo, segue um trecho da carta de 16 de Maio de 2016 a todas as congregações:

Prezados irmãos: Elogiamos todos vocês por apoiarem a adoração verdadeira com seu tempo, esforços e donativos. Com certeza, Jeová dá muito valor ao espírito disposto e à generosidade de vocês. (2 Cor. 9:7) Recentemente, muitos têm pedido orientações sobre como podem apoiar a adoração verdadeira em sua própria região por meio de donativos. Por isso, criamos uma página no site jw.org com informações sobre como fazer donativos em seu país. Essa nova página explica, por exemplo, como fazer donativos por meio de transferência eletrônica, doações condicionais e assim por diante. Vocês podem acessar essa página clicando em “Faça um donativo para a nossa obra mundial” no final da página inicial do site jw.org ou clicando em “Apoie nossa obra mundial” na seção “On-line” do aplicativo JW Library. Essa página no site também permite fazer donativos para a obra mundial usando cartão de crédito das bandeiras Visa e MasterCard. Em breve, também será possível fazer donativos por cartão de débito e cartão de crédito de outras bandeiras. Ao preencher os dados no site, é necessário que o endereço de cobrança do cartão seja do mesmo país que vocês escolheram na página de donativos do site jw.org. Vocês não precisam criar uma conta de usuário para fazer um donativo único. Mas podem criar uma conta para fazer donativos de forma regular. Fazer donativos por meio de uma conta de usuário reduz a quantidade de trabalho no Escritório e permite que vocês façam donativos regulares e visualizem o histórico de seus donativos. Todos os donativos que vocês fizerem serão confirmados imediatamente por e-mail. Depois que o Escritório receber seu donativo, vocês receberão em poucos dias uma carta de agradecimento por e-mail. Se tiverem alguma dúvida sobre o assunto, procurem um dos anciãos da congregação. Esperamos que esse recurso possa ajudar vocês a continuar ‘honrando a Jeová com as suas coisas valiosas’. — Pro. 3:9.

Até mesmo um artigo no site oficial das TJs é destinado a lhes mostrar de quais formas podem fazer donativos. Clique aqui para ler o artigo.

Até então, vimos os pedidos por dinheiro e a justificativa: apoiar a obra mundial de pregação. Uma parte desses donativos é destinada à publicação de livros, revistas e outros impressos, assim como também à manutenção do site oficial e à edição e divulgação de filmes e afins. Outra parte desses donativos é usada para a construção de salões do reino e de assembleias.

Digno de nota é que uma parte desses donativos é usada para pagar multas e processos nos tribunais, sendo que alguns destes estão relacionados com a política das duas testemunhas em casos de abuso, que facilita a vida de pedófilos testemunhas de Jeová. Este gasto, por exemplo, não é mencionado em nenhuma parte. Aliás, tais casos muito raramente chegam aos ouvidos dos membros.

Charity Comission

A organização das Testemunhas de Jeová está sob pressão cada vez maior para responder por seu tratamento de alegações de abuso sexual. Além de recentes fracassos legais, tem a pagar mais de 1 milhão de libras esterlinas (mais de 4 milhões de reais) à justiça e uma luta para evitar que a Charity Comission (no Reino Unido) investigue os seus registros internos de alegações de abuso.

Veja a matéria no The Guardian.

Demissão em massa de betelitas

De forma a reduzir custos, milhares de betelitas foram demitidos das gráficas das Testemunhas de Jeová ao redor do mundo. O interessante aqui é que eles eram voluntários. Alguns deles dedicaram décadas de suas vidas a esse serviço, morando nessas gráficas e tendo contato reduzido com o mundo exterior. Ao serem demitidos, muitos deles tiveram de retornar para suas famílias, sendo que não possuem experiência profissional nem registro na carteira de trabalho. Vivendo sob várias restrições, numa vida de sacrifícios louváveis, muitos deles foram pegos de surpresa.

Salões do reino vendidos para igrejas

Todo salão do reino das Testemunhas de Jeová é construído pelos próprios membros de forma voluntária. No entanto, passam a pertencer à Torre de Vigia quando terminados. Esta passa até mesmo a ter o poder de venda do mesmo. Digno de nota é que esses locais são "dedicados a Deus" quando sua construção é encerrada.

As Testemunhas de Jeová consideram todas as outras religiões como fazendo parte de "Babilônia, a Grande", sendo portanto falsas e instrumentos do Diabo. Além disso, proíbe-se aos seus membros qualquer contato com a "religião falsa". Por exemplo, uma TJ não poderia pintar a parede de uma igreja, porque estaria contribuindo com a religião falsa.

Seria de se esperar então que tais lugares jamais fossem vendidos diretamente a uma outra denominação religiosa. Bem, este não é o caso. Embora, até onde se pode ver, sejam poucas, as vendas de lugares sagrados das TJs para uso de outras religiões podem ser vistas numa pesquisa rápida pela internet.

Por exemplo, um salão do reino, que era da congregação Weiler, Alemanha, foi vendido para a Igreja de Deus de Loerrach, por 388.000 euros.

Outro exemplo é o da sede nacional das Testemunhas de Jeová na Nova Zelândia. Sendo por 30 anos a sede das TJs no país, o local de 7,5 hectares foi vendido para a Igreja de Elim, que pretende fazer do local um colégio cristão.

A Igreja de Elim em Wattle Downs compra o que era anteriormente a sede das Testemunhas de Jeová na Nova Zelândia

Fonte da imagem: http://www.stuff.co.nz/auckland/local-news/manukau-courier/9124458/Witnesses-sell-Elim-buys

Pedindo até o dinheiro das crianças

Será que o interesse financeiro chega às crianças? Separamos algumas imagens retiradas diretamente do JW.org:

 

Essa última faz parte de um artigo da revista A Sentinela em que formas de fazer donativos são alistadas.

4. DESASSOCIAÇÃO

Uma das maiores causas de polêmicas, muitas vezes não é percebida pela população em geral. Basicamente, o membro que é desassociado perde o contato com todos os outros membros da religião, da noite para o dia. Em tempos recentes, o assunto tem ganhado destaque. Na verdade, este é o motivo pela qual a dissidência da religião das Testemunhas de Jeová é, possivelmente, dentre as dissidências cristãs, a maior e a mais organizada.

'Mantenha-se no Amor de Deus', págs. 208-209:

Embora em raras ocasiões talvez se precise cuidar de um assunto familiar com um parente desassociado, tal contato deve restringir-se ao mínimo possível. Membros leais de uma família cristã não procuram desculpas para ter tratos com um parente desassociado que não more na mesma casa. Em vez disso, a lealdade a Jeová e à sua organização os faz seguir os princípios bíblicos relacionados com a desassociação. Seu proceder leal visa o bem do desassociado e pode ajudá-lo a se beneficiar da disciplina recebida.

A polêmica não se resume a conteúdo escrito. No último congresso das Testemunhas de Jeová, houve um discurso e uma apresentação em vídeo mostrando como tratar um desassociado. Nesse vídeo a mãe chega a negar atender uma ligação da filha. Se a filha nunca fosse readmitida na congregação, ela faria o mesmo pelo resto da vida. Veja o vídeo (a encenação começa nos 3:50, mas é recomendável assistir também aos dizeres do orador):

Para ver como a desassociação afeta a vida de algumas pessoas veja este documentário feito na Estônia:

5. DISCURSOS ALIENANTES E OUTROS

É comum vermos nos discursos de testemunhas de Jeová críticas ao ensino superior, à homossexualidade e também orientações sobre como educar os filhos para que fiquem "separados do mundo".

Por exemplo, Gerrit Losch, membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, diz em um de seus discursos:

Se você está atualmente frequentando uma universidade, por que você não medita em oração na possibilidade de desistir e fazer algo melhor?

Compara também o ato de fazer faculdade a dar um tiro na própria cabeça e esperar sobreviver. Veja o vídeo:

Já o vídeo a seguir mostra uma mãe falando para sua filha que para ser amigo de Deus uma pessoa não pode praticar a homossexualidade. O assunto é realmente controverso do ponto de vista bíblico; por outro lado, a doutrinação infantil também é questionável. Ao dizer para sua filha que "as pessoas podem mudar", a ideia passada é que os homossexuais optam por ser homossexuais. De qualquer forma, não queremos formar nenhuma opinião aqui, mas apenas mostrar o assunto que é polêmico. Veja o vídeo a seguir:

A revista Sábado, por sua vez, descreveu "o mundo desconhecido em que são educadas as Testemunhas de Jeová". Contém um equívoco ao dizer que elas não podem beijar na boca até se casar, embora devam fazer isso com um acompanhante. Veja o artigo clicando aqui.

6. PREVISÕES ERRADAS PARA O FIM DO MUNDO

As Testemunhas de Jeová são vistas por outras religiões cristãs como uma seita que já fez diversas previsões erradas para o fim do mundo. Este último é um fato. Várias datas já foram definidas, sendo que as primeiras são do final do século 19. O ano de 1975 é a mais notável das recentes previsões erradas.

A Torre de Vigia se esquiva dessas acusações alegando que as Testemunhas de Jeová, como grupo, criaram expectativas erradas. No entanto, as publicações são escritas na sede nos EUA e traduzidas para vários idiomas. Mesmo assim, é difícil para sua liderança recorrer suas falhas. Veja, por exemplo, um trecho da A Sentinela, 1 de Janeiro de 2013, pág. 8:

As Testemunhas de Jeová já tiveram expectativas equivocadas sobre quando viria o fim. Como aconteceu com os primeiros discípulos de Jesus, houve ocasiões em que esperamos o cumprimento de profecias antes do tempo determinado por Deus.

Assista abaixo a um discurso feito pelo 4° presidente da Sociedade Torre de Vigia, Frederick W. Franz, com especulações ousadas sobre o ano de 1975:

 

7. MENTIRAS E DISTORÇÕES

Citações fora de contexto

Uma evidência recente se encontra no terceiro parágrafo da página 3 da Despertai! de Janeiro de 2015, há a seguinte citação:

Rama Singh, professor de biologia da Universidade McMaster, Canadá, disse: “A oposição à evolução não vem apenas dos fundamentalistas religiosos, mas também de um grande número de pessoas instruídas das diversas áreas acadêmicas.”

Quando questionado sobre o assunto, o professor se manifestou:

A Torre de Vigia de fato me citou erroneamente e eu não concordo com o artigo em questão e com a a posição antievolução do mesmo.

Clique aqui e veja várias outros exemplos de citações fora de contexto feitas pela Torre de Vigia.

Distorções

No seu site oficial, principalmente, visto que é aberto ao público, as Testemunhas de Jeová distorcem algumas de suas ideias com a intenção de passar uma mensagem mais agradável aos visitantes. Se você leu este artigo desde o início, já percebeu como é o tratamento dado a um desassociado. Compare, por exemplo, com essa "pergunta respondida" no site JW.ORG:

Nós não evitamos Testemunhas de Jeová batizadas que pararam de participar na pregação ou até de se associar conosco. Na verdade, nós procuramos contatar essas pessoas e reavivar seu interesse pelas coisas de Deus.

Nós não expulsamos automaticamente alguém que cometeu um pecado grave. Mas, se uma Testemunha de Jeová batizada passa a ter o costume de violar o código de moral da Bíblia e não se arrepende, ela é desassociada, ou evitada. A Bíblia diz claramente: “Removei o homem iníquo de entre vós.” — 1 Coríntios 5:13.

Mas e se um homem que tem uma esposa e filhos Testemunhas de Jeová é desassociado? Embora o vínculo religioso que ele tinha com a família tenha mudado, o vínculo familiar continua. O relacionamento conjugal e as afeições e os tratos familiares continuam.

Pessoas desassociadas podem assistir a nossas reuniões religiosas. Se elas quiserem, também podem receber conselhos espirituais dos anciãos da congregação. O objetivo é ajudar cada pessoa nessa situação a se qualificar para voltar a ser Testemunha de Jeová. Os desassociados que rejeitam conduta imprópria e mostram um desejo sincero de seguir os padrões da Bíblia sempre são bem recebidos de volta na congregação.

Nota-se aí, facilmente, uma distorção de ideias. No começo do artigo, é dito que as pessoas que deixam de se associar com as Testemunhas de Jeová não são evitadas. É verdade que os anciãos tentam reativar esa pessoa, mas é também um fato que ao se recusarem a voltar elas passarão a ser evitadas. Assim, vemos uma meia verdade. Mais adiante, a ideia é que os laços familiares continuam, mas nada se fala sobre o caso em que os familiares já não moram na mesma casa, situação em que são proibidos de se comunicar. No final do artigo, a ideia passada é que os desassociados podem ir nas reuniões normalmente porque serão bem-vindos, mas na realidade eles não serão nem sequer cumprimentados por muitos meses, até que passem pelo inteiro processo de readmissão.

Telly Awards

Um acontecimento recente curioso foi a alegação do site das Testemunhas de Jeová de ter recebido o prêmio Telly Awards pelas suas produções de vídeo. A notícia foi exposta como uma farsa, visto que as estatuetas foram compradas. Um dos sites que explica toda a trama pode ser visto clicando aqui.

OUTROS

Alguns casos tiveram pouca repercussão na mídia. Selecionamos, no entanto, alguns que podem interessar ao leitor.

Cultos Mortais 3ª temporada Episódio 1: Relata a história de Jane Bryant, uma devota Testemunha de Jeová cujo marido, Robert, foi excluído e evitado pelos demais membros. Em 2002, ele matou seus filhos, sua esposa e a si próprio com uma espingarda.

Com o tempo, esta lista será atualizada.

Comentários


@2016-2017 Observatório JW